Início OPINIÃO RADAR FLORIANO: Farinha pouca, meu pirão primeiro
RADAR FLORIANO: Farinha pouca, meu pirão primeiro

RADAR FLORIANO: Farinha pouca, meu pirão primeiro

0
0

Faz algum tempo que percebemos o não fortalecimento de novas lideranças políticas. Há um marasmo sem precedentes dos movimentos e pra variar não há uma rotatividade administrativa (apenas executiva). Sabemos do esforço coletivo que foi feito para a eleição de Joel Rodrigues à Prefeitura de Floriano, muitas pessoas se empenham e são de fato tecnicamente capazes de assumir cargos de primeiro escalão, mas o que acontece é um apego desenfreado a certas pastas.

O desafio é o maior criador de talentos, não é porque uma pessoa nunca ocupou nenhum cargo que este não seja capaz de conduzi-la, pelo contrário, por nunca ter estado em nenhum cargo de chefia talvez não se acomodasse. E meus amigos, comodismo é tudo que não precisamos neste momento em um gestor vai assumir um terceiro mandato pegando uma prefeitura desestruturada, ruas escuras, uma calamidade nas contas e por aí vai… Tudo por conta de má administração!

A casa de apostas fechou! Joel começou a anunciar o seu time de secretários e assessores. Bem, começamos a perceber a força das lideranças e como elas influenciam nas decisões das pastas. Já foram anunciados: Assis Carvalho (Desenvolvimento Rural), Marcio Trindade (Assessor especial), Marlon Brito (Procuradoria), Marcony Alisson (Infraestrutura), Fábio Cruz (Governo), Manuella Simplicio (Meio Ambiente), Rafaela Barros (Assistência Social) e Joab Curvina (Educação). O que todos tem em comum? Já foram secretários do município, a grande maioria em gestões passadas do, por enquanto deputado e logo, logo prefeito Joel Rodrigues. Quais as conclusões que podemos tirar disso? Bem, como diria um grande poeta da música brasileira, Bezerra da Silva: “Farinha pouca, meu pirão primeiro”.

É como olhar no passado e ver a mesma prefeitura, uma nova gestão que já começa velha. Velha no sentido de experiência é bom e interessante para o que iremos enfrentar, mas velha no sentido de saudosismo. Acredito, conhecendo os bastidores da política, que isso não é bem-vindo. Não podemos nos espelhar no passado, precisamos olhar o futuro e seguir adiante. Construir e transformar.

Minha avó dizia: “Faça por onde e eu te ajudarei”. Sim! Espero que esses nomes postos até agora façam o necessário para estabilizar um município tão fragilizado. O discurso de mudança (pelo menos no âmbito administrativo) já era. Mas acredito muito na capacidade intelectual e política do prefeito eleito. Ainda temos cartas na mesa, a pasta de saúde ainda não teve o nome anunciado, a de cultura, comunicação e etc. O que podemos esperar?

Eu, de longe, observo. Atento e vigilante.

*Allan Aquino é produtor cultural, militante político ligado ao movimento LGBT, social e estudantil. Nascido em Água Branca é apaixonado por Floriano. Formado em Geografia pela Universidade Estadual do Piauí tem como área de interesse geopolítica. Aquino escreve sobre política, atualidades e cultura todas as quartas-feiras.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *