Início OPINIÃO RADAR FLORIANO: ​Faca de dois gumes
RADAR FLORIANO: ​Faca de dois gumes

RADAR FLORIANO: ​Faca de dois gumes

0
0

Desde o coronelismo, a troca de favores é fator preponderante no nordeste brasileiro tornando-se cultural a compra de votos em todas as eleições. Com o passar do tempo, há-se uma campanha desenfreada para a conscientização dos eleitores para deixar no passado esse costume que tanto molda nossa política atual.

Em Floriano, não podia ser diferente. Essa prática criminosa continua sendo usada como seu maior cabo eleitoral, tirando o direitos dos mais humildes de serem eleitos e dando aos mais poderosos seus sonhados cargos que massageiam seu ego.

No início desse mês, o Juiz José Osvaldo de Sousa, da 9° Zona Eleitoral, deu continuidade ao processo movido contra o atual prefeito de Floriano, enviando ao Ministério Público um pedido de manifestação dos fatos. A ação movida pela oposição, reuniu provas e testemunhas que afirmam que a chapa de Joel Rodrigues (PP) utilizaram-se de compra de votos (captação de sufrágio) e abuso do poder econômico para que fossem eleitos.

Chega a ser cômico ler e ouvir algumas coisas. Quem realmente entende do dia a dia de uma campanha eleitoral em Floriano sabe que a prática de troca de favores, promessas e centenas de milhares de reais rodando a nossa cidade é uma prática corriqueira, campanhas de vereador, prefeito, deputado e todos mais, utilizam do sufrágio para garantir que seu nome será julgado da maneira correta.

 Mas a lei é a seguinte: Quem pode provar? Como provar? Quem perde com isso?

Lógico, não estou falando que todos se utilizam desse fim para ser eleito, claro que ainda temos alguns políticos com boas ideias e que seguem as regras eleitorais, mas com o passar do tempo, era pra haver um amadurecimento da política, mas está acontecendo o contrário, pra dizer que os eleitores não estão amadurecendo e não aceitando o dinheiro, podemos dizer sim, que os eleitores estão exigindo cada vez mais. 

A honestidade meus amigos, é do nosso âmago, não podemos transformar ninguém em honesto, assim, como não podemos subornar um honesto. Mas não, vejo apenas um lavado de roupa suja, uma troca de farpas, uma rede de intrigas.

Quem perde com isso é o povo. E o povo perde no momento em que aceita dinheiro para vender seu voto. E no final, todos são culpados. Estamos em um jogo de cartas: Cartas marcadas e cartas na manga.

Que se prove a inocência ou a culpa. Mas que se prove e que deixe as pessoas administrarem a cidade, foi pra isso que foram eleitos. Se for culpado, que pague. Mas que todos paguem, não apenas aquele que tá na mira…

Deixo uma reflexão, para todos: “É muito importante o eleitor votar com consciência. Consciência de que não importa quem vença as eleições, o cidadão sempre irá perder, de uma forma ou de outra. A escolha é, não quem traz mais benefícios e sim quem proporciona menos prejuízos.” Edu Paganini

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: