Início OPINIÃO PENSE NUM ABSURDO: Quem faz carnaval é a gente
PENSE NUM ABSURDO: Quem faz carnaval é a gente

PENSE NUM ABSURDO: Quem faz carnaval é a gente

0
0

Mas tudo bem, o dia vai raiar pra gente se inventar de novo” … essa é o trecho da música “tempo de pipa” do cantor Cícero. E é assim que o famoso carnaval da princesa tem feito. Como já escrevi em outra oportunidade, os foliões tem saudade daquela multidão e expectativa que enchia nossos corações quando chegava janeiro e o cheirinho de carnaval batia na porta. Os tempos são outros, muita coisa mudou. Inclusive, o Carnaval…

Desde o ano passado, sem o Bloco Furacão, o florianense se adaptou muito bem e hoje se reinventa para não deixar a tradição morrer. Blocos pequenos e de bairro ganharam fôlego nos últimos anos. Gente comum que gosta de uma cerveja, folia e um churrasco, se for mais organizado. Mesmo porque, pra ser feliz pouca coisa basta e como a gente sabe, carnaval só presta se a turma for boa então, porque não juntar a galera pra comemorar?

Na Galeria, zona sul da cidade, o Galefolia é exemplo disso. Faça chuva ou faça sol (esperamos que faça sol, pois se chover, já sabemos como a história termina) as famílias e amigos se reúnem pra brincar e festejar com tranquilidade.

Até a meninada vai ter seu próprio bloco. No dia 12 de fevereiro, o Criançada Kids prepara um “arrastinho” animado pela dupla Ikaro e Avellã lá no Clube dos Professores. Uma alternativa para os pais que gostam da folia, mas precisam cuidar dos pequenos.

Outra ideia bacana que surgiu da falta dos grandes blocos é o “Bloquinho da Pimenta”, organizado pela promotora de eventos alternativos Jakeline Santos e que foi surpreendida pela alta procura. Mais de cinquenta pessoas já confirmadas. O bloco é tão bem organizado que tem espaço próprio no centro da cidade, local estratégico (ali no Sapucaia Bar), camiseta, caneca e para os que decidirem aparecer de última hora pulseiras para cada dia de folia. DJs vão tocar de tudo, desde as mais tocadas do carnaval até marchinhas para relembrar os velhos tempos. Ainda vai ter caipirinha de graça durante os quatro dias e de quebra um dia com churrasco.

“Eu vou te acompanhar de fitas

Te ajudo a decorar os dias

Te empresto minha neblina

Vamos nos espalhar sem linhas

Ver o mundo girar de cima

No tempo da preguiça”

E não sejamos injustos, a Prefeitura está fazendo o possível para Floriano não deixar de ser roteiro turístico no carnaval. Além dos quatro dias de folia com os tradicionais “arrastões” saindo ali do cruzamento da antiga rodoviária, foi anunciado um dia extra na sexta-feira, 09, pra abrir de vez o carnaval da Princesa com trio elétrico e bandas locais. Muita gente pensou que com o fim do Furacão o carnaval de Floriano morreria junto, mas quem apostou perdeu. A gente se reinventa pra renascer de novo. Outro dia, outra folia, mais uma ressaca e muita alegria. Péssima rima. Mas não sabia como encerrar o texto. Até a próxima!

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: